sexta-feira, 23 de março de 2012

Ivo...


Mais de 6 meses após a data do teu nascimento, decidi que não passaria de hoje retomar este blog e dirigir-te umas palavrinhas (e tu gostas tanto das conversinhas da mamã...).
p
Meu amor mais pequenino...

A mamã sentiu que tu ias nascer no dia 1 de Setembro, ainda durante a madrugada...

Com toda a calma fui pondo em prática tudo aquilo que tinha planeado para este nosso momento...


Fui sentindo cada passo, cada evolução... fui conversando contigo para que te preparasses para o nosso grande momento.

Pelo meio fui falando com as "tias" virtuais (um dia vais conhece-las todas) e contando-lhes as evoluções.

Já nem sei que horas seriam mas sei que era de manhã ainda pois o mano João ainda dormia e achei que seria melhor passar pelo hospital para me certificar de que estava tudo bem contigo e connosco... a mãe não gosta nada de arriscar nestas coisas!

No hospital viram que estava tudo bem com ambos, a mamã já estava a fazer dilatação, o colo do útero já estava apagado e estava, como eu já sabia, com contrações. Normalmente teria ficado internada... mas o hospital estava com as camas todas ocupadas e eu já tinha desabafado com o médico que era meu desejo dar entrada o mais tarde que fosse possível por causa do mano João que ia sentir a falta da mamã! Atendendo a tudo isto e como já era o meu 3º parto, o médico disse para vir embora e manter-me vigilante e assim que houvessem evoluções para voltar lá. (a avó Tila e o avô João entretanto tinham aparecido lá pois pensavam que já era para ficar)

Assim foi, viemos para casa, contei as novidades às "tias", tomei um banho de imersão, brinquei um pouco com o mano... mas as dores começavam a apertar e tive que me recolher um pouco no quarto para entrar em reflexão, recarregar energias e preparar-me.

Deviam ser umas 17h e achei por bem voltar ao hospital... e fiz bem pois fiquei logo internada com 3/4 dedos de dilatação e a tensão arterial alta!


Fomos para uma sala com 3 camas e lá ficamos à espera...os bebés das camas ao lado foram nascendo... e eu, no nosso cantinho, ia ouvindo tudo e imaginado o nosso momento.

Havia momentos em que me sentia sem força porque estava com muitas saudades do mano João e sei que ele estava cheio de saudades minhas... mas depois pensava em ti e recompunha-me.

Deviam ser umas 23h e uma enfermeira foi, finalmente, buscar-nos para um quarto (curiosamente o mesmo onde nasceu o mano João).

Sugeriu que ficasse sentada para te ajudar a ganhar posição para nascer... e assim, bem confortável e ansiosa, continuei a esperar e a conversar contigo o tempo todo!

Pouco faltava para a meia noite e a mesma enfermeira que nos tinha levado para o quarto disse-me:

"Vamos apressar isto senão o Ivo nunca mais nasce! Confia em mim??"

Claro que eu respondi que sim... e confiava!

Lá me disse para fazer força em cada contração para que tu descesses e provocasses dilatação com a pressão da tua cabeça... e assim fiz... força e mais força!

Quando vejo a enfermeira ir buscar os apoio de pernas já sabia que ias nascer... e aí sim a ansiedade cresceu apesar de manter toda a minha calma! Liguei a câmara do telemóvel em modo de vídeo para registar o som e entreguei-me ao momento.

Meia dúzia de puxões e tu nasceste, meu amor! Recordo com emoção as palavras da enfermeira:
"Seja bem vindo, Ivo!"... e aí, meu amor, chorei... chorei por te amar mais do que aquilo que o meu corpo poderia conter... chorei porque não sabia sorrir tanto! Olhei para o relógio: 00h50m do dia 2 de Setembro.

Cortei o teu cordão umbilical!

O meu corpo tremia muito... estava exausta!

Nasceste um rapagão, 3,600gr e 48cm.

Pegaste na mama assim que te puseram a mamar... e por ti nunca mais a terias largado.

O papá veio dar um beijinho enquanto o tio Serginho ficou com o mano João (que estava a dormir).

A meio da noite subimos para o quarto e lá ficamos os dois num namoro que só uma mãe sabe!

No dia seguinte tivemos as tão desejadas visitas, o papá, os manos, o avô João e a avó Tila, o tio Sérgio e a tia Paulinha.


Dia 3 de Setembro, da parte da manhã, viemos para casa... depois da visita do pediatra e de ele dizer que estava tudo bem contigo, depois das vacinas e do teste do pézinho, a mamã assinou o termo de responsabilidade e viemos para casa, o mano João estava a precisar muito da mamã.

Não foi fácil, o mano estava feliz mas tinhas uns ciuminhos... mas em pouco tempo voltavamos, felizes, às nossas rotinas!

És um bebé muito de bem com vida, meu amor!

Sorris com uma facilidade que não conheço em nenhum outro bebé!

Tens tido muitas cólicas, não tem sido fácil para ti (apesar de já estares quase bem).

Mamas muito bem e tens crescido imenso.

Aos 6 meses pesas 8,500gr e medes 68cm!

Era suposto começares a sopa mas assim que tentei, apesar de adorares, as cólicas pioraram... decidi continuar mais um tempo só com a maminha e ir fazendo pouco a pouco a adaptação.

Já tens dois dentinhos em baixo.

Palras muito e adoras colinhos!

Dás gritinhos de alegria que me deliciam!

Ris muito para os manos e adoras as brincadeiras deles!

Gostas muito de estar em pé e tens muita força há muito tempo.

Já vais sentando sozinho mas ainda é melhor colocar almofadas à tua volta pois esqueces-te e tombas para os lados.

Tens muito, muito mimo... estás na fase de ter medo de perder a mamã... assim que deixas de me ver choras de forma angustiada...



Sabes... amo-te tanto, meu filho mais pequenino!

Tu e os teus manos fazem de mim aquilo que sou...

AMO-VOS, MEUS MENINOS!



NOTA: todas as fotos que se seguem foram tiradas por mim com o meu telemóvel! Não deixei o espírito de fotógrafa nem durante o parto! :D





















1 Comentários:

Blogger raquel disse...

Adorei este texto.
A sua ternura, o seu conteúdo, o seu amor.
Beijinhos para vocês*

26 de março de 2012 às 11:39  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial