sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Faz hoje 15 anos...

Faz hoje 15 anos que soube o sentido da minha vida!
Faz hoje 15 anos que conheci na pele o sentido de ser mãe!
Faz hoje 15 anos que te conheci, meu amor!

Pois é... 15 anos já passaram... e sabes, relembro aquele dia como se fosse hoje!

Estive até agora a adormecer o mano Ivo e a relembrar/reviver muitos dos nossos momentos... e são tantos! Entre lágrimas e sorrisos aqui estou eu a "falar-te"!

Sabes, muitas mamãs demoram dias, semanas até sentirem este sentimento avassalador de ser mãe. É normal, faz parte... mas eu considero-me sortuda porque te amei desde o exacto momento em que, expulso de mim, choraste com toda a força! Amei-te logo de uma forma tão intensa que chega a doer...
Recordo que olhei para o relógio na parede à minha frente e pensei para mim "17h, o meu menino nasceu às 17h!"... e chorei, chorei muito!! Lembro as palavras das enfermeiras: "olha um morenaço!", "mamã, pode dar beijinhos porque este nasceu limpinho!"... e eu dei, dei muitos beijinhos! Nunca esquecerei o teu cheiro, o teu choro... levaram-te de perto de mim para te lavar, pesar, medir, vestir... ao longe ouvia-te junto com outros bebés e conseguia reconhecer o teu choro!

Assim que te trouxeram de volta, vinhas cansado, puseram-te na minha mama e tu mamaste, mamaste muito! A enfermeira que carinhosamente me acompanhou o tempo todo ainda comentou "olha que mamão ele é!" E eras, sabes? Tive que te dar chupeta por ordem da médica porque não me largavas a mamoca! :)

Eras lindo, pequenino, realmente moreno...vestiram-te umas roupas da maternidade e embrulharam-te num cobertor (até hoje não percebo porque não vestiram as tuas roupinhas...).
Ah, ah... estava agora a lembrar que passado um pouco de nos terem levado para a enfermaria eu decidi ver oe que estava dentro daquele cobertor... e estavam umas pernocas despidas e um pézinhos tão pequeninos... ui, derreti-me!

E começou a aventura de ser mãe... banhos, fraldas, leitinho, adormecer, cuidar, mimar... e sabes que mais? Eu adorei tudo! No alto dos meus 21 anos, com um enorme orgulho e uma imensa vaidade eu adorava cuidar de ti e exibir-te a toda a gente! O meu tesouro!

Depois foste crescendo! Juntos vivemos muitos momentos, muitas aventuras...

Brincamos muito, passeamos muito... lembras das imagens para colorir que a mãe imprimia na empresa e com as quais fazia livros para tu pintares? E dos livros de culinária? Acho que isso ainda anda aqui por casa!

Estava agora a lembrar-me de quando foste para o colégio... ai que o meu coração de mãe ficou tão pequenino... custou tanto, meu amor! E tu choravas por mim, pedias para eu te levar comigo... :'( Mas eu não podia, sabes? E todos os dias, ao fim do dia, corria para ti... e o stress no trânsito era tanto que havia momentos em que quase sentia o meu coração parar... eu só queria correr para ti!

E depois foste para a escola primária... a professora dizia que era um menino "muito adultizado!"... continuo sem saber se isso era bom ou mau... mas sei que tinha muito orgulho nisso! E eu sabia que o eras porque nós conversávamos muito, sempre gostei de te integrar em todas as minhas actividade e sempre falamos, falamos, falamos (será por isso que hoje és tagarela?).

Durante estes 15 anos foste muitas vezes o meu Norte... quando me empurravam para trás eu, mesmo que muitas vezes vacilasse, olhava para ti e dava dois passos em frente!
Na medida exacta do teu papel de filho, foste e és o meu confidente, o meu amigo mais especial!

Tenho muito orgulho em ti, meu filho!

Adoro o teu sorriso... a cor da tua pele!

Fazes-me sentir profundamente feliz quando chegas perto de mim e simplesmente me abraças, sem eu pedir nada... simplesmente porque sim!

Mas sabes, tenho saudades, muitas saudades... de quando dormias coladinho a mim, fingindo estar sentado numa cadeira ou sofá (tu é que escolhias), ou de quando faziamos piqueniques na varanda, ou partilhavamos um prato de arroz com fiambre e queijo (gostavas tanto!)... e de quando faziamos actividades e tu ficavas muito feliz e agitavas os braços daquele jeito, sabes?

Ai, meu filho... tenho saudades! Agora mal cabes no meu colo! Pediste-me autorização para crescer??

E sabes, meu amor... há alturas que tenho medo... tenho muito medo que no meio de tudo o que tenho a meu cargo todos os dias que não esteja a ser capaz de te acompanhar... tenho muito medo de não ser a mãe que sempre fui e de que sempre me orgulhei (apesar de tu dizeres que é um disparate e que eu sou muito boa mãe!).

15 anos... és um lindo rapaz, sabes?

Ah, não posso esquecer da primeira vez que te cortei o bigode... lembras? Lembras o vídeo que fizemos? eheh

É... se pensar bem e puser as inseguranças de parte, acho que sim, fui uma boa mãe... vivi para ti e quase exclusivamente para ti até nascerem os teus manos...sabes o que é engraçado? Eu não sabia como seria quando nascesse o mano João... cheguei a ter medo de não ser capaz de o amar tanto quanto amo a ti... e sabes que mais? Coração de mãe cresce todos os dias! E assim foi, quando o teu mano nasceu o meu coração duplicou.... quando nasceu o Ivo foi o mesmo! Cada um tem o seu cantinho especial, não precisava de ter tido medo!

Uma coisa que gostaria de te dizer também é que tenho muito, muito orgulho do teu papel enquanto mano... és o melhor de todos! O João gosta tanto de ti! Acho que nunca te disse mas todos os dias quando acorda o discurso dele é SEMPRE o mesmo:
"O mano "iel" tá a nanar ou "cola"?"

E o Ivo, mesmo pequenino, já gosta muito de ti... engraçada a forma como ele te sorri, não é? Lembras como ele ainda há pouco tempo ficava sério a olhar para ti, de testa franzida a absorver cada tracinho do teu rosto? Falando nele... antes de começar a escrever-te estava a acalmar a barriguinha dele... e disse-lhe ao ouvido "Ivo, meu anjo, nana para a mamã escrever para o mano" e sabes que ele, pela primeira vez desde que nasceu, está a dormir desde a 1h! :)

E pronto... não te vou saturar mais, muito embora sinta que tenho muito mais para te dizer...

Espero que, à imagem do que tem sido, me mantenhas ao teu lado no teu percurso, vigiante sempre de braços abertos para ti!

AMO-TE MUITO MEU FILHO!

OBRIGADA POR, JUNTAMENTE COM OS MANOS, FAZERES DE MIM O QUE HOJE EU SOU!





4 Comentários:

Anonymous Avó Tila disse...

Assino de olhos fechados cada palavra tua, mas, não havia necessidade de pores a tua mãe a chorar logo pela manhã.Quando me disseste que ias ser mãe ,eu respondi,vem aí um rei,viva o rei,lembras-te?Pois para mim ele é e continuará a ser o meu rei...AMO-O muito,tal como tu mas no meu lugar de avó,amo de igual modo os nossos principezinhos João e Ivo beijocas para todos.

27 de janeiro de 2012 às 09:41  
Blogger raquel disse...

Lindo, lindo.
E também eu fiquei aqui a chorar.
Um choro bom, emocionado por perceber tão bem estas palavras.
Um beijinho enorme, Orquídea.
Muitos parabéns para o Daniel e para ti.
raquel (rar)

27 de janeiro de 2012 às 22:11  
Blogger Orquídea Gonçalves disse...

Obrigada, mãe, pelas tuas palavras! :) Adoro-te!


E obrigada, Raquel, muito obrigada pela tua presença aqui neste cantinho! Gosto muito de ti, sabes? Tenho pena que não possamos partilhar um caminho de forma fácil...

28 de janeiro de 2012 às 02:15  
Blogger raquel disse...

Obrigada, querida.
Também gosto muito de ti. De verdade.
E também tenho pena que não o possamos fazer... E olha que as tuas sábias palavras fazer-me-iam muito diferença.
Beijinho enorme, em ti*

29 de janeiro de 2012 às 01:07  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial